Menu

Rolamentos: funcionamento e manutenção

Avançar

 

Rolamentos são essenciais para manter a atividade das máquinas. São eles os responsáveis pelo movimento, rotacional ou linear, entre duas ou mais partes e substituir a fricção de deslizamento entre as superfícies do eixo e da chumaceira por uma fricção de rolamento, evitando o desgaste do que poderia ser friccionado.

 
 
Composição e classificação

 
 
A maioria dos rolamentos são compostos por três elementos: anéis interno e anéis externos, corpos rolantes e gaiolas.
Existem inúmeros de rolamentos com finalidades específicas, mas todos estão classificados em categorias maiores: de esferas, classificados de acordo com seus anéis como rígidos de esferas, de contato angular e axiais; ou de rolo, caracterizados pelos seus rolos, que podem ser cilíndricos, agulhas, cônicos e esféricos. Há ainda classificações de acordo com a direção em que a carga é aplicada, sendo radiais ou axiais, ou mesmo os rolamentos lineares e padronizados e especiais.

 
Podem existir mais de 30 modelos de rolamentos com finalidades  específicas, mas todos estão classificados em categorias maiores: de esferas, classificados de acordo com seus anéis como rígidos de esferas, de contato angular e axiais; ou de rolo, caracterizados pelos seus rolos, que podem ser cilíndricos, agulhas, cônicos e esféricos. Há ainda classificações de acordo com a direção em que a carga é aplicada, sendo radiais ou axiais, ou mesmo os rolamentos lineares e padronizados e especiais.

  
Vamos falar de alguns específicos:
  
Rígido de esferas
Tipo mais comum, é próprio para altas rotações e suporta cargas radiais e pequenas cargas axiais. No entanto, sua ajustagem angular é limitada, por isso, é preciso um alinhamento perfeito entre o eixo e os furos da caixa.

 
Contato angular
Ele suporta cargas apenas em um sentido e deve ser montado comtra outro rolamento que receba a carga axial no sentido contrário.

 
Autocompensador de esferas
Possui duas carreiras de esfera que correm no anel externo e se ajustam a qualquer ângulo e podem compensar desalinhamentos.

  
Autocompensador de um rolo ou dois rolos
Com um rolo, é usado para suportar grandes cargas radiais e ainda compensa falhas de alinhamento; com dois rolos é mais ideal para serviços pesados, pois distribui a carga uniformemente.

 
Axial autocompensador de rolo ou dois rolos
Possui rolos inclinados e suporta bem cargas axiais e cargas radiais médias. Também pode compensar possíveis desalinhamentos ou flexões do eixo.

 
Rolo cônico
Os anéis interno e externo podem ser montados separadamente, um contra o outro, porque só aceitam cargas axiais num único sentido.

 
Rolos cilíndricos
Ideal para cargas radiais pesadas, possuem componentes separados, facilitando montagem e desmontagem.

  
Axial de esfera
Aceitam cargas altas cargas axiais, mas não aguentam cargas radiais. A firmeza desse rolamento é garantida por uma carga axial mínima.

  
Agulha
Usado quando há pouco espaço radial.

 
 
Manutenção:
 
Os rolamentos são padronizados internacionalmente e são intercambiáveis, logo, por mais específicos que possam ser, conhecer o histórico de qualidade da marca que o produziu é suficiente para saber que você está adquirindo a peça ideal para a função que você precisa; são de fácil lubrificação e consomem pouco lubrificante e podem ser usados em aplicações de alta e baixa temperatura.
  
Na hora da troca de rolamentos, é muito importante conferir sua procedência e seus códigos e, antes da instalação, confira o catálogo de rolamentos do fabricantes, pois cada um tem suas próprias especificações.
 
Na montagem, é preciso ficar atento às dimensões para saber se as medidas do eixo e do cubo estão corretas; também é importante usar o lubrificante recomendado pelo fabricante, remover as rebarbas e lavar e lubrificar se precisar reaproveitá-lo.
  
Garantindo uma manutenção adequada, seus rolamentos terão uma vida útil maior, garantindo agilidade e eficiência no trabalho das máquinas e, claro, economia com novos equipamentos.